7.4.09

Nosso astral, naquelas condições, não estava bom.
Percebemos que estávamos derivando do planejado para os próximos dias.
Lembramos também que não conseguimos fotografar quase nada durante essa perna da viagem, pois nossa preocupação era simplesmente superar os ventos e chegar em algum lugar.

Enquanto comia algo, mencionei para a Paula que estava sentindo que havia ignorado um assunto sério: os Tornados.
Seguimos comendo nossos lanches em silêncio, até que um Senhor que trabalhava na lanchonete disse num inglês dificil de se entender :
- Vai ficar pior. Isso é só o começo.
Olhamos um para o outro, sem dizer nada.

Após alguns segundos, levantei-me, fui até a moto e peguei o laptop.
Voltei para a lanchonete, arrumei uma conexão com a Internet e comecei a trabalhar em 2 tópicos.
Primeiro: dar uma analisada na Temporada de Tornados.
Segundo: revisar previsões do tempo e, mais precisamente, previsão dos ventos para os próximos dias.

Com relação à Temporada de Tornados, estávamos, literalmente, no meio dela. Marquei o assunto para depois, com mais calma, voltar e estudá-lo em detalhes.
Com relação às previsões, o Senhor da lanchonete estava correto: os ventos iam piorar até aparecerem tornados, dentro de 2 ou 3 dias, exatamente naquela região do estado de Arkansas.

Em seguida, analisamos nossa rota planejada para os próximos dias.
Resumindo: as próximas pernas eram mais para o sul. Ou seja, além de mudar um pouco a posição para atacar os ventos (agora um pouco mais pelas costas), estaríamos também fugindo da região dos Tornados.
Resolvemos que valia a pena prosseguir ainda durante aquele dia mais para o sul.
Talvez, até a divisa com o estado do Texas.
Assim, terminamos nosso descanso, conversamos um pouquinho meio que dando força um ao outro e começamos a arrumar a Dedete para enfrentarmos mais um pouco de "trancos e barrancos" (de preferência, só os trancos).
O Senhor da lanchonete, vendo nossa determinação, passou perto de nós e disse :
- Casal corajoso. Mas, vocês estão certos. Sumam daqui.

E, assim, lá fomos nós rumo sudoeste, a caminho do Texas.
Imaginamos seguir por umas 100 milhas e, no dia seguinte, tentar mergulhar mais ainda para o sul do país.

Nossa decisão se mostrou boa.
Os ventos agora nos pegavam mais pelas costas (vento em popa) e afetavam menos a estabilidade na moto.
A Dedete se mostrava razoavelmente estável, mesmo naquelas condições.
Assim, cuidadosamente, conseguimos vencer 140 milhas até a cidade de Texarkana, divisa com o Texas.

Encontramos um hotelzinho na beira da estrada.
Banho, uma saladinha e sono.

Antes de dormir, disse baixinho para a Paula :
- Linda, falhei. Me preocupei com tantas coisas e não dei a devida atenção ao nosso velho conhecido vento, aliado em tantas travessias.

Interessante como , às vezes, só às vezes, nos esquecemos de valorizar o que está bem próximo a nós e só nos preocupamos com o desconhecido.

1 comment:

  1. Fé... Vcs vão vencer...
    Beijinhos
    http://www.youtube.com/watch?v=Q9tscxYGlUs

    ReplyDelete